Azevedo, M.A.; Guerra, V.N.A.; (2010). Mania de bater – A punição corporal de crianças e adolescentes no Brasil. São Paulo: Iglu; 2ª Edição.
6
Detalhes do Projeto

Você já deixou de bater no seu filho?

Quer tenha respondido SIM ou NÃO, vale a pena ler este livro!

Trata-se de uma obra pioneira sob vários aspectos. Em primeiro lugar porque inclui uma extensa pesquisa histórica, mostrando que vivemos num País onde os pais tem uma estranha mania: a mania de bater nos filhos, sob a falsa alegação de que é para o seu próprio bem. Mania tanto mais estranha quando se constata que nossos índios não batiam em suas crianças.

Em segundo lugar, o livro incorpora o resultado de uma pesquisa inédita no Brasil e rara no mundo intitulada: VOZES DA INFÂNCIA.

Seus resultados demonstram que as novas gerações continuam apanhando dos pais, mas já consideram essa prática “má, errada, inútil, dolorosa” e felizmente começam a pensar em outras formas de educar sem violência.

Finalmente, a obra traz uma série de depoimentos e de reflexões críticas sobre políticas públicas desenvolvidas em outros países (Suécia, Etiópia, Moçambique) objetivando banir toda e qualquer forma de punição corporal, seja na família, seja na escola. O livro subsidiou ampla Campanha Nacional (desenvolvida pelo Laboratório de Estudos da Criança – LACRI/IPUSP) cuja peça chave foi a Petição por uma Pedagogia Não Violenta, que contou com 100.000 assinaturas.

A obra pode ser complementada por um vídeo conscientizador intitulado: VOZES DA INFÂNCIA – A PALMADA DESEDUCA.

Esta é portanto uma obra que defende o direito de crianças e adolescentes crescerem num Brasil onde a violência da punição corporal doméstica seja definitivamente proscrita.